Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Marketing no jornalismo? Uma reflexão sobre Storytelling

Publicado em 13/07/2021 - 12:31 Por Marcela Mesquita
destaque
Créditos da imagem: Canva


Não é segredo pra ninguém que as palavrinhas do título têm meu amor todinho! O jornalismo me escolheu desde a infância. Não me imagino com outra formação. Já o marketing veio um pouco mais tarde, em 2013 (já grandinha) com a pós-graduação em Comunicação Digital. Me apaixonei pelo poder de impactar o mundo por meio de estratégias. Mas... será que jornalismo e marketing têm alguma relação? Sou "marketeira" da reportagem e não tenho vergonha de dizer! "Tá passada"? Não, não fique! O marketing tem uma fama que, na minha opinião, é bem injusta. Há quem pense que trabalhar com marketing é exagerar sobre algo ou até mentir. Defendo com unhas e dentes que não. O objetivo é encontrar a melhor maneira de divulgar uma informação. Saber passar uma mensagem de forma com que o público-alvo seja impactado!

Veja o exemplo: o produto "x" de uma loja "y" tem qualidades específicas, certo? A empresa não tem que inventar, tem apenas que encontrar a melhor forma de explicar sobre os benefícios. E, para isso, utiliza estratégias (de marketing) para impactar o consumidor.

O jornalismo trabalha com a verdade (e como jornalista, jamais vou fazer o contrário) e as informações também têm o poder de impactar o telespectador. E para fazer com que a mensagem chegue até o público da melhor forma possível, utilizo na rotina algumas estratégias que usaria para divulgar algum produto/serviço, sem ter que inventar qualquer informação.


Tento fazer o máximo para deixar a reportagem bem atrativa para que o telespectador pare o que está fazendo e preste atenção na mensagem. Utilizo, por exemplo, técnicas de Storytelling - que nada mais é do que contar histórias. E no caso do jornalismo, as histórias são reais.

Mas o que é Storytelling? É um conjunto de técnicas de contação de histórias muito utilizadas por especialistas de cinema, teatro, literatura e entretenimento no geral para prender a atenção do público. As histórias têm um poder de engajar as pessoas que estão cada vez mais dispersas por conta do enorme volume de informação. A ideia ao aplicar as técnicas é fazer com que o conteúdo desperte o interesse das pessoas pela mensagem. O Storytelling pode ser aplicado em postagens nas redes sociais, para vendas, em roteiros vídeos para empresas e, por quê não, no jornalismo?

A técnica também está presente nas minhas entradas ao vivo. Eu tento contar a história como se estivesse conversando com alguém em quem confio. Penso muito na minha mãe. E tento explicar a notícia em palavras simples e seguindo uma ordem cronológica.

Como aplicar o Storytelling?

#1 Reúna informações sobre a empresa/marca (ou reportagem).
#2 Escolha os tópicos mais importantes sobre a história, que sejam mais atrativos. 

#3 Adeque às informações ao público. É importante saber para quem está falando/escrevendo para que a mensagem seja bem interpretada.

#4 Demonstre emoção/sentimento. Lembre-se que pessoas se conectam com pessoas e ser de verdade é fundamental para conquistar/atrair o público.

Storytelling é um tema que acompanho desde 2017 e amo! O primeiro curso na área (foto) foi com o Bruno Scartozzoni que fala do tema com muita propriedade. Se você quer entender melhor, sugiro que siga o perfil dele no Instagram (@brunoscarto).

Com Simone Lima e Alinne Andrade no curto "Storytelling para Negócios" em Belo Horizonte (2017)


Deixo também a indicação de 2 livros: "O Herói de Mil Faces" - Joseph Campbell e "Storytelling: Histórias que Deixam Marcas" - Adilson Xavier. Eu poderia até emprestar, mas sou ciumenta com livros! HAHAHA (mas se insistir muito, quem sabe?).

Para terminar o post, compartilho aqui uma reportagem que fiz no aniversário de Divinópolis (pouco depois que voltei do curso, empolgadíssima!). Resolvi contar a história da cidade em primeira pessoa (inspirada no comercial "Despedida da Kombi" que é maravilhoso). O roteiro e o texto são meus, mas achei que ficaria mais impactante chamar uma mulher mais velha para gravar. Convidei uma escritora Terezinha Fonseca, que foi minha professora de português na infância e achei que o resultado, modéstia parte, ficou muito bom! Aperta o play e depois me conta o que achou! :)





Beijo, beijo e até o próximo post!
Marcela (Instagram: @marcelamesquita1) 



;

;

;

;

;

Tags: comununicacaodobem
 Marcela Mesquita Marcela Mesquita
Comunicação Do Bem

Marcela é jornalista, repórter da TV Integração e MBA em Comunicação Digital. É professora universitária e apaixonada por natureza, pessoas e animais.

Leia também: Romantizar não é humanizar