Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

O Instagram vai mudar?

Publicado em 26/07/2021 - 18:00 Por Marcela Mesquita
destaque
Créditos da imagem: Canva

Olá, internauta! Tudo bem? Você que tem um perfil ativo no Instagram já deve ter percebido que nos últimos tempos a plataforma anda bem devagaaaar para entregar conteúdo, né?

É, meu bem: pra quem não é "tiktoker" de carteirinha, a vida no Insta não tá muito "easy", não! 

Eu, com tanto tempo de internet, sigo sofrendo só de pensar que o Instagram tem mudado o algoritmo e valorizado bem mais os vídeos curtinhos e dinâmicos. "Mas, Marcela... vídeo pra você é legal, né? Você trabalha com isso". O vídeo é ótimo, mas acredito que valorizar bem mais uma forma de produzir conteúdo deixa o processo de criação menos democrático! 

Nem todo mundo é do vídeo (e tudo bem) e aí fica a reflexão: será que os tímidos vão ter vez no "novo Instagram"? Será que vou ter que dublar e fazer "dancinha" para continuar tendo espaço dentro da plataforma? Tem um vídeo da Camilia Coutinho muito legal sobre isso e vale a pena demais assistir.

Enfim, tudo é muito novo ainda, não sabemos 100% como será... mas o mais importante nisso tudo é você não perder a sua essência (ou da sua empresa) por não se sentir pertencente à rede social "x" ou "y".

É claro que devemos tentar nos adaptar às mudanças, mas fazer algo que não combina com você só porque tá todo mundo fazendo, não vale a pena! Dona Mariângela (oi, mãe!) já dizia: "você não é todo mundo". 

E enquanto a gente tenta entender a mente do "titio Zuckerberg", que tal assistir a um vídeo sobre como humanizar o conteúdo e atrair seguidores fieis? Aperte o play! :)



Beijo, beijo e até o próximo Comunicação do Bem!
Link para participar no WhatsApp e no Telegram: https://linklist.bio/marcelamesquita


Tags: comununicacaodobem
 Marcela Mesquita Marcela Mesquita
Comunicação Do Bem

Marcela é jornalista, repórter da TV Integração e MBA em Comunicação Digital. É professora universitária e apaixonada por natureza, pessoas e animais.

Leia também: Romantizar não é humanizar