Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Rede Mater Dei Uberlândia alerta para conscientização sobre prematuridade

Publicado em 16/11/2023 - 16:04 Por Cristiane Guimarães
destaque
Créditos da imagem: Divulgação

Novembro não é apenas o mês da conscientização sobre o câncer de próstata, conhecido como Novembro Azul, mas também abraça a causa da prematuridade, sendo designado como o mês internacional de conscientização sobre o tema. No dia 17, ações de sensibilização são realizadas em diversos países, visando educar a população sobre os desafios enfrentados pelos bebês prematuros e suas famílias. No Brasil, onde a prematuridade afeta aproximadamente 11,1% dos nascimentos anuais, totalizando cerca de 340 mil bebês, o cenário demanda atenção e ação.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa global de prematuridade atinge a marca alarmante de 15 milhões de bebês a cada ano. O Brasil ocupa a 10ª posição entre as nações com maior incidência de casos de nascimentos prematuros, conforme registra o Governo Federal.

O Dr. Heloisio dos Reis, pediatra do hospital Mater Dei Santa Clara, em Uberlândia, destacou as principais causas dos nascimentos prematuros. Segundo ele, fatores como estresse materno, insuficiência istmocervical, rotura prematura de membranas, pré-eclâmpsia, fertilização in vitro, infecções maternas e gestação múltipla desempenham um papel crucial nesse cenário.

“A incidência da prematuridade no Brasil é cerca de 11,1% dos bebês nascidos vivos, equivalente a 6 a cada 10 minutos. Este é um dos problemas sociais mais graves no Brasil”, ressalta o Dr. Heloisio. O médico também enfatizou que, nos países desenvolvidos, a taxa de nascimentos prematuros é significativamente menor, cerca de 5%.

Sobre a prevenção, o Dr. Heloisio destacou a importância do pré-natal adequado, controle do estresse materno e a conscientização sobre as causas que podem levar à prematuridade. No entanto, ele enfatizou que, em alguns casos, é difícil prever e evitar totalmente esse desafio.

Entre as dificuldades enfrentadas pelos bebês prematuros e os cuidados especiais que eles necessitam, o médico destacou que os recém-nascidos pré-termo extremos exigem cuidados especiais em sala de parto, suporte ventilatório devido à imaturidade do sistema respiratório e nutrição parenteral, além de outros cuidados na UTI Neonatal. O pediatra enfatizou que a alta hospitalar ocorre quando o bebê apresenta controle da temperatura corporal, aceita a dieta e não necessita de oxigênio suplementar. O acompanhamento médico regular é crucial para avaliar o crescimento e desenvolvimento do bebê.

“O nascimento de um bebê prematuro é um evento preocupante para os pais”, observou o Dr. Heloisio. Ele destacou a importância da equipe da UTI Neonatal em compreender e apoiar os pais, permitindo que participem dos cuidados ao filho e recebam orientações seguras.

Sobre as complicações de longo prazo, o pediatra alertou para possíveis sequelas neurológicas, respiratórias e outros problemas metabólicos, renais e cardíacos. O acompanhamento a longo prazo é essencial para mitigar essas complicações.

A rede Mater Dei Uberlândia apoia e acolhe famílias com bebês prematuros.  “Contamos com infraestrutura e equipe multiprofissional qualificada para atender os bebês prematuros desde o nascimento até sua permanência na UTI Neonatal”, disse o pediatra. Além disso, ele destacou o apoio emocional e psicológico fornecido aos pais, durante esse período desafiador.

Um toque de humanização 

A Rede também destaca projetos como o Polvinho Uberlândia, mostrando que a união de esforços pode proporcionar não apenas tratamento médico, mas também conforto e humanização a esses pequenos guerreiros que lutam desde o primeiro instante de vida.

Desde 2017, a equipe da UTI Neonatal do Mater Dei Santa Genoveva, em parceria com o Projeto Polvinho Uberlândia, tem buscado promover um cuidado humanizado aos bebês prematuros. O projeto introduziu a ideia de oferecer pequenos polvos de crochê aos recém-nascidos prematuros, inspirados por relatos positivos de outros hospitais ao redor do mundo.

A iniciativa visa não só proporcionar conforto aos bebês, como também fornecer informações aos pais sobre o projeto e a higienização adequada dos polvos. A artesã e professora Cíntia Juliana Duarte, embaixadora do Projeto Octo Brasil em Minas Gerais, desempenha um papel essencial na confecção desses pequenos polvos.

Tags: Saúde
 Cristiane Guimarães Cristiane Guimarães
Entre Nós!

Cristiane Guimarães é Comunicadora Social com habilitação em jornalismo e atua há mais de 25 anos no mercado. Apaixonada pela profissão é colunista social, produtora e assessora de imprensa.

Leia também: 25 de Maio comemora-se o Dia da Costureira