Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Educação financeira para crianças e adolescentes

Publicado em 12/05/2021 - 13:57 Por Fernando Agra
destaque
Créditos da imagem: https://br.freepik.com/fotos-premium/crianca-feliz-mostrando-o-fa-de-dinheiro-dinheiro-para-educacao-futura-garoto-bonito-conta-seu-dinheiro-alfabetizacao-financeira-de-criancas_7642751.htm#page=1&query=educa%C3%A7%C3%A3o%20financeira%20para%20crian%C3%A7

Caro leitor (internauta), como você tem orientado os seus filhos, sobrinhos, netos, afilhados e demais crianças e adolescentes, que convivem contigo, no que diz respeito a questões das boas práticas de educação financeira?

            Saiba que quanto mais cedo começar, melhores serão os resultados. Crianças e adolescentes que possuem educação financeira serão adultos melhores no cuidado com as finanças pessoais. Tão importante quanto às orientações, são os exemplos. E aí eu te pergunto: você é um bom exemplo de educação financeira para os seus filhos? Se sim, ótimo! Do contrário, que tal aprender a lidar bem com o dinheiro junto com seus filhos? E o passo inicial é ter consciência do padrão de vida que a família pode levar e evitar comparações com os parentes, os vizinhos, os colegas da escola etc.

            O passo inicial é uma boa conversa com todos que moram na mesma casa e o envolvimento dos filhos é fundamental. A partir dos 5 ou 6 anos, os pais já podem começar a conversar sobre o que pode e o que não pode comprar; sobre o que é barato e o que é caro; sobre que nem tudo o que a gente quer, a gente poderá comprar naquele momento e assim teremos que juntar o dinheiro e ter paciência para esperar o momento certo de comprar; a zelar pelos brinquedos, material escolar, roupas e tudo o que possui, entre outras questões numa linguagem para essa faixa etária.

            À medida que as crianças vão crescendo, os pais vão ampliando as orientações. Lembro-me que quando ministro palestras para crianças e pergunto de onde vem o dinheiro, algumas delas dizem que vem do banco e do caixa eletrônico. E eu digo que o dinheiro vem do trabalho dos pais e de bons investimentos (por isso endosso que é importante gastarmos menos do que ganhamos e pouparmos parte).

            O consumo consciente e o combate ao desperdício são questões que devem ser praticadas em todas as idades. Além de ser bom para o “bolso, é bom para a natureza também, pois diminui a quantidade de lixo no meio ambiente e poupa recursos naturais. Junto com essas questões, é muito importante que os pais orientem os seus filhos a terem uma boa alimentação, boas noites de sono e façam atividades físicas (que atualmente têm encontrado algumas limitações em função do agravamento da pandemia da Covid-19). Crianças e adolescentes mais saudáveis gastarão menos com despesas médicas.

            A mesada (ou semanada para crianças menores) deve ter o objetivo educativo de ensinar a crianças e os adolescentes a administrarem o seu dinheiro. Eles terão que fazer escolhas de tal modo que o dinheiro dure o mês todo e devem ser orientadas a pouparem parte da mesada. E se quiserem comprar algo mais caro, terão que poupar uma maior parte e assim desenvolverem a paciência com relação às práticas de consumo.

Se analisarmos cuidadosamente, tudo o que foi apresentado para crianças e adolescentes, guardadas as devidas proporções, também devem ser praticados pelos adultos. E como eu disse no início, quanto mais cedo essas boas práticas começarem a fazer parte do cotidiano das famílias, as mesmas vão crescer de patrimônio, atender as necessidades e os desejos, bem como terão uma vida financeira mais tranquila.

Afinal, é isso que todos nós queremos. Abraços e até o próximo artigo. Caso queiram conhecer mais sobre as minhas atividades na área de educação financeira, acessem o meu Instagram: @prof.fernandoagra 

Tags: Educação financeira, poupar, consciência do padrão de vida, dinheiro, crianças e adolescentes.
 Fernando Agra Fernando Agra
Finanças Agradáveis

Fernando Antônio Agra Santos é palestrante e consultor nas áreas de Finanças Pessoais (Educação Financeira e Aplicações Financeiras). É Economista pela Universidade Federal de Alagoas e Economista da Universidade Federal de Juiz de Fora, Doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa, Professor da Universidade Salgado de Oliveira, Professor Visitante dos MBA´s da UFJF (todas em Juiz de Fora - MG) e Professor de Educação Financeira do Colégio Machado Sobrinho.

Leia também: Benedita (carinhosamente mãe Biu): uma lição de amor!