Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Por que o preço das carnes subiu tanto?

Publicado em 10/01/2022 - 21:45 Por Fernando Agra
destaque
Créditos da imagem: https://domtotal.com/noticia/1527956/2021/07/apos-ja-ter-disparado-em-2020-precos-de-carne-e-ovos-vao-bater-de-novo-inflacao/

                  Os preços das carnes dispararam no ano passado e têm comprometido parte do orçamento das famílias, sobretudo as mais pobres.

                Na semana passada participei de uma entrevista para os telejornais da Globo News com o seguinte tema “Preço das carnes fechou 2021 acima da inflação”, cujo objetivo era entender o porquê desse comportamento.  Com relação à carne de boi, tivemos fazer uma análise que remonta o período 2015/2016, cujo PIB do Brasil caiu quase 4% em cada um daqueles anos. Com a economia em crise, a demanda por carne de boi diminuiu e provocou queda nos preços, que desestimularam novos investimentos em 2017 e 2018. Com isso, a oferta de carne diminuiu.

                 Uma grave crise afetou a produção de carne na China em 2018 e fez com que aquele país aumentasse a demanda pela nossa carne. Como a produção nacional menor e a demanda maior, os preços começaram a subir ao longo de 2019 e foram ampliados ainda mais no ano subsequente.

    Ao longo de 2020, o agravamento da pandemia da Covid-19 contribuiu para a maxidepreciação cambial da taxa de câmbio brasileira, ou seja, a cotação do dólar subiu muito em relação ao Real. Isso estimulou ainda mais as exportações, que também foram puxadas pela maior demanda por carne nos Estados Unidos, em função das mudanças de hábitos, devido à quarentena, onde parte da população diminuiu o consumo de processados e aumentou a demanda por produtos in natura, entre eles, a carne. Concomitantemente, aqui no Brasil, o auxílio emergencial de R$ 600,00 concedido pelo Governo à população contribuiu para o aumento da demanda. Em suma, observamos aumentos nas demandas interna e externa e redução da produção de carne ao longo de 2020, o que somente contribuiu para novas elevações nos preços. Em 2021, os preços continuaram altos devidos também aos aumentos dos custos de produção (armazenamento e distribuição), agravados pelas estiagens, pelos aumentos dos preços da energia elétrica e dos combustíveis.

Com o preço da carne de boi muito alto, observamos um efeito-substituição nos hábitos da população brasileira, que diminuiu a demanda por carne de boi de primeira e passou a demandar mais a carne de frango, ovos e partes menos nobres da carne de boi (assistimos a várias reportagens que mostravam que ossos, que antes eram doados, passaram a ser vendidos). Esse aumento na demanda por frango, associado a um maior custo de produção (as commodities soja e milho, que correspondem a 70% dos custos, tiveram seus preços elevados por conta do dólar mais alto) contribuiu também para o aumento do preço final ao consumidor. E como é sabido, as classes mais pobres são as maiores afetadas, pois possuem uma maior propensão a consumir da renda disponível, ou seja, comprometem maior parte da sua renda com consumo.

Enfim, o comportamento dos preços das carnes, ao longo de 2022, vai depender do aumento da produção e do comportamento da taxa de câmbio (e como acontece em anos de eleições presidenciais, essa variável macroeconômica tende a apresentar elevada instabilidade). Segue o link com a entrevista no Estúdio i do dia 03/01/2022, na Globo News: https://g1.globo.com/globonews/estudio-i/video/preco-das-carnes-fechou-2021-acima-da-inflacao-10179096.ghtml . Abraços e até o próximo artigo.

Tags: Carnes de boi, frango, ovos, aumento de preços.
 Fernando Agra Fernando Agra
Finanças Agradáveis

Fernando Antônio Agra Santos é palestrante e consultor nas áreas de Finanças Pessoais (Educação Financeira e Aplicações Financeiras). É Economista pela Universidade Federal de Alagoas e Economista da Universidade Federal de Juiz de Fora, Doutor em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa, Professor da Universidade Salgado de Oliveira, Professor Visitante dos MBA´s da UFJF (todas em Juiz de Fora - MG) e Professor de Educação Financeira do Colégio Machado Sobrinho.

Leia também: Benedita (carinhosamente mãe Biu): uma lição de amor!