Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

A falta de qualidade custa caro!!!

Publicado em 28/06/2021 - 20:05 Por Prof. João Carlos Batista
destaque
Créditos da imagem: https://i.ytimg.com/
A FALTA DE QUALIDADE CUSTA CARO

O desempenho da empresa brasileira está abaixo do padrão mundial.
Como resultados temos prejuízos e baixa competitividade (sem generalizar, é claro).
As empresas brasileiras tem despertado mais tardiamente para a importância da qualidade.
A saída é disparar na pista deixada pelos países de economia avançada e encurtar a distância por eles já percorrida.
Essa defasagem ocorre nos vários setores (indústria, comércio e serviços).
Os números são impressionantes quando comparamos o desempenho da indústria brasileira com a média da indústria mundial (estados Unidos, Europa e Japão) em termos de qualidade e produtividade.
São desperdícios de tempo, material e de força de trabalho que custam muito caro para os brasileiros.
Entre aquelas empresas que não se modernizaram, buscando a qualidade total podemos encontrar alguns índices médios apurados em levantamentos anteriores:

ÍNDICE DE TREINAMENTO
- Enquanto a indústria brasileira investe 1% das horas trabalhadas durante o ano, por empregado, a média mundial é de 6%.

ÍNDICE DE PEÇAS DEFEITUOSAS
- Enquanto a indústria brasileira possui um índice médio de rejeição de peças defeituosas entre 25 mil a cada milhão produzido a média mundial é de 200.

SUGESTÕES DE MELHORIA APRESENTADAS POR EMPREGADOS
- Enquanto no Brasil esta média é de 0,1% a média mundial é de 60%.

GASTOS COM ASSISTÊNCIA TÉCNICA
- Enquanto no Brasil o gasto médio é de 2,7% do valor bruto das vendas, a média mundial é de 0,15%¨.

Se realmente queremos reduzir os custos com a falta de qualidade, melhorando nossos resultados, importante se faz conhecermos alguns mandamentos básicos da qualidade a saber:

OS 10 MANDAMENTOS DA QUALIDADE

1 – Total Satisfação Dos Clientes
O cliente é a pessoa mais importante para a organização. Tudo que a ele se relaciona torna-se prioritário. A total satisfação dos clientes é a mola mestra da gestão da qualidade. Os clientes são a própria razão de existência de uma organização. A empresa que busca qualidade estabelece um processo sistemático e permanente de troca de informação e mútuo aprendizado com seus clientes transformando este feedback em indicadores de grau de satisfação dele.

2 – Gerência Participativa
É preciso criar a cultura da participação e passar as informações necessárias aos empregados.
A participação fortalece decisões, mobiliza forças e gera compromisso de todos com os resultados.
Novas ideias devem ser estimuladas e a criatividade aproveitada para o constante aperfeiçoamento e a solução de problemas.
Dar ordens e exigir obediência cega é restringir ao mínimo o potencial do ser humano. No processo de qualidade total gerenciar é sinônimo de liderar. E liderar significa mobilizar esforços, atribuir responsabilidade, delegar competências, motivar, debater, ouvir sugestões, compartilhar os objetivos, informar, transformar grupos em verdadeiras equipes.
É preciso eliminar o medo e passar a ouvir os subordinados.

3 – Desenvolvimento de RH
As pessoas são o maior patrimônio que uma empresa pode ter. Podem até ser controladas através de normas rígidas, supervisão e fiscalização, mas nada será tão eficaz quanto o espírito de colaboração e a iniciativa daqueles que acreditam no trabalho e na organização em que trabalham.
Programas de incentivo, motivação e treinamento podem propiciar ao empregado o sentimento de orgulho e satisfação em trabalhar na organização.

4 - Constância de Propósitos
A adoção de novos valores é um processo lento e gradual que deve levar em conta a cultura existente na Organização. Os novos princípios devem ser repetidos e reforçados, estimulados em sua prática até que a mudança desejada se torne irreversível.
É preciso persistência e continuidade.
O papel da administração é fundamental no acatamento e na prática dos mandamentos da Qualidade Total. É preciso ter coerência nas ideias e transparência na execução de projetos.

5 – Aperfeiçoamento Contínuo
O avanço tecnológico, a renovação dos costumes e do comportamento levam a mudanças rápidas nas reais necessidades dos clientes.
Acompanhar e até mesmo antecipar as mudanças que ocorrem na sociedade, com o contínuo aperfeiçoamento, é uma forma de garantir mercado e descobrir novas oportunidades de negócios.
Não há mais espaço para acomodação, passividade, submissão, individualismo ou paternalismo.
O processo empresarial está comprometido com a implantação de uma cultura de mudança, de contínuo aperfeiçoamento.
Quando a empresa oferece mais do que lhe é cobrado, acaba por superar as expectativas e ganha a admiração dos clientes. 

6 – Gerência de Processos
A empresa é vista como um grande processo em que cada um busca atender às necessidades dos que recebem os serviços / produtos formando cadeias de clientes e fornecedores. Este grande processo se divide em processos mais simples até a tarefa individual. Entra aí o conceito de cliente / fornecedor interno até o atendimento das expectativas do cliente externo, ou seja: 
Exemplo:
- Em uma fábrica de sapatos quem corta o couro é fornecedor de quem o costura (cliente) que por sua vez é fornecedor de quem executa a próxima etapa do processo e assim sucessivamente.

7 – Delegação
O melhor controle é aquele que resulta da responsabilidade atribuída a cada um.  É fundamental delegar atribuindo responsabilidades, mas de forma coerente e eficaz, ou seja, transferir poder e responsabilidade a pessoas que tenham condições técnicas e emocionais para bem assumir o que lhes for delegado.

8 – Disseminação de Informações
A implantação da Qualidade Total tem como pré-requisito transparência no fluxo de informações dentro da empresa. Todos devem entender qual é o negócio, a missão, os grandes propósitos e os planos empresariais.
A participação coletiva na definição dos objetivos é a melhor forma de assegurar o compromisso de todos com sua execução.
A comunicação com os clientes efetivos ou potenciais é imprescindível. É importante transmitir a eles a ideia de missão da empresa, seus objetivos, produtos e serviços.

9 – Garantia de Qualidade
A base da garantia da qualidade está no planejamento e na sistematização (formalização / padronização) de processos.
Esta formalização estrutura-se na documentação escrita, que deve ser de fácil acesso, permitindo aos responsáveis pela execução dos processos identificar o caminho e a forma correta de executá-los.
O registro e o controle de todas as etapas relativas ao processo de produção proporcionam maior confiabilidade ao produto / serviço.

10 – Não Aceitação De Erros
O padrão de desempenho desejável na empresa deve ser o de “zero defeito”. Este princípio deve ser incorporado à maneira de pensar de empregados e dirigentes na busca da maior perfeição possível em suas atividades. 
Desvios podem ocorrer uma vez que "Errar é humano, e só erra quem faz". mas tais desvios ou não conformidades devem ser medidos para localizar a causa principal (causa raíz) do problema e planejar ações corretivas, afinal, como diz a sequência deste provérbio "permanecer no erro é burrice"...

- Reitero aqui meus agradecimentos especiais ao Prof. Ricardo Mendonça, que há anos contribuiu significativamente para a contextualização deste assunto em diversos pontos aqui abordados.

Reitero ainda o convite para que conheçam a TREINAR    ESCOLA    DE    NEGÓCIOS    A    DISTÂNCIA, e seu respectivo curso intitulado "Formação de Líderes 5.0", que realmente será um divisor de águas para seu futuro, bem como de seus líderes, em relação à busca de resultados positivos e sucesso de sua empresa. 
Saiba mais clicando no link: Formação de Líderes 5.0

ATENÇÃO:
- Temos um canal de comunicação onde você poderá sugerir temas para nossa coluna. Basta clicar no link abaixo e fazer parte de nosso grupo "MEGAMINAS - COLUNA JC" onde poderá sugerir, em tópicos, temas a serem abordados em meus artigos.

O Link para fazerem parte de nosso grupo é:   https://chat.whatsapp.com/H1ZOUACghRPFPCQyxdxhF5

Tags: Administração, gestão, empreendedorismo, inovação, liderança, sucesso, competências, gerenciamento, sucesso,
 Prof. João Carlos Batista Prof. João Carlos Batista
Gestão & Empreendedorismo

Apaixonado pelo que faz, estudioso e atuante na área de consultoria empresarial, bem como na área de treinamento, experiência como docente na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) e Faculdade Metodista Granbery, integrante voluntário do Rotary International, onde atuou como Presidente do Rotary Club Juiz de Fora Norte no ano rotário 2018/2019, fundador e diretor executivo da Treinar Gestão Empresarial e Treinar Escola de Negócios a Distância, dentre outras significativas atuações como gestor em sua carreira profissional, o Prof. João Carlos Batista disponibilizará nesta coluna conteúdo relevante sobre “Gestão & Empreendedorismo”, com dicas, notícias e novidades relacionadas ao mundo empresarial, buscando auxiliar empresários e empreendedores no desenvolvimento de ideias, projetos, criação, organização, gestão e busca contínua do sucesso de seus empreendimentos. " www.treinarvirtual.com.br "

Leia também: Como você define as prioridades dentro de sua empresa?