Faça login na sua conta!

Ainda não tem uma conta? Cadastre-se agora mesmo!

Mega Colunistas

Colunistas

Quando mulheres passaram a ter medo de serem mulheres?

Publicado em 13/07/2022 - 14:52 Por Vanessa Carlos
destaque
Créditos da imagem: divulgação / polícia militar

Eu estou estarrecida!
Ando com medo de ser mulher!
Nunca em quase 40 anos eu tive este sentimento: medo de ser mulher.

Não é exagero, não é uma generalização, é um compartilhamento de sentimentos a partir da vulnerabilidade que mulheres convivem. Segundo o mapa da violência, Minas Gerais foi o estado com o maior número de feminicídios em 2021.

Começamos a semana com a notícia do inacreditável estupro cometido por um médico durante uma cesariana. De tão inacreditável, as equipes do hospital tiveram que filmar, provavelmente se alguém, contasse, dificilmente acreditaria. Hoje (13/07) no MG1, noticiamos dois casos de feminicídio, uma vítima em Araguari e outra em Uberlândia. Casos em que companheiros agridem e o extremo é a morte de mulheres.

Logo após o jornal começamos a discutir coletivamente o que nós, como imprensa, podemos fazer para ajudar, conscientizar e informar a população para que os crimes não se repitam com outras vítimas. Vamos mostrar as redes de proteção, a falta de estrutura de atendimento, a necessidade da denúncia, a legislação, o depoimento de vítimas de agressão. Não é suficiente! Não é, temos que fazer mais!

Saindo da emissora, as dúvidas reverberam na minha mente:

- O que faz um homem matar uma mulher por ciúme ou por não aceitar o fim de um relacionamento?
- Que insegurança é essa?
- Que sentimento de posse é esse?

Quem comete um crime, é um criminoso! Que caminho ele percorreu psicologicamente para chegar a este ponto.

Temos que falar a respeito! É da nossa conta!

Admiro grupos de homens que se reúnem com o objetivo de discutir temas específicos. Não estou falando do futebol, do encontro do videogame e nem da sauna da semana. Estou falando de grupos estruturados que se reúnem com o propósito de discutir assuntos. Fica aqui o pedido, coloquem o tema em pauta. Há agressores silenciosos.

Isso é quase nada. Tudo é quase nada. Quase nada é um passo que também precisa ser dado.

O que podemos fazer como cidadãos? O que mais?

Não pode ser nada.

* Este artigo é uma tentativa de fazer algo, de manter o tema em pauta de discussão. No passado eu tinha a ingênua impressão que mulheres não deixavam suas casas após sofrerem ameaças por medo que elas se concretizassem e por dependência financeira. Esses dois motivos são reais. Mas nesta pauta de discussão há mais elementos que precisam ser considerados. Mas que fique claro: nada justifica um crime.

* A foto deste artigo, cedida pela Polícia Militar,  é a faca usada na morte de uma das vítimas.

;

Tags: violência contra a mulher, feminicídio
 Vanessa Carlos Vanessa Carlos
Memória da Notícia

Jornalista curiosa pelas histórias de vida das pessoas e com os sentidos atentos aos fatos que fazem do cotidiano elementos de transformação. Somente conhecendo a história é possível compreender o presente e desenhar o futuro. É o que teremos aqui toda sexta-feira, fatos recentes e outros um pouco mais distantes, porém conectados. Vanessa Carlos é apresentadora do MG1, da TV Integração. Tem 20 anos de jornalismo e experiência em edição, reportagem e produção de TV, trabalhou na assessoria de comunicação da emissora e com projetos sociais. Tem passagens pela rádio Cultura FM e revista Integra.

Leia também: Jornalismo da TV Integração: Mais Uberlândia, mais notícia, mais perto da população